COMO É POSSÍVEL TAMANHA IGNORÂNCIA NO NOSSO SISTEMA DE ENSINO?

Mithá Ribeiro. “Estou fisicamente preparado para actuar se um aluno desobedecer” (Por Kátia Catulo,publicado em 14 Out 2013 JORNAI):

……

O Estado Novo exigia aos professores um atestado de robustez física.

Assumo a robustez física como condição de sobrevivência na sala de aula. Por outro lado, ser negro é uma grande vantagem para lidar com minorias. A maioria do corpo docente são mulheres de etnia portuguesa. Se alguém estiver interessado em perceber o que é a violência sobre as mulheres é entrar numa sala de aula. Combater a violência contra as mulheres é combater a indisciplina nas escolas. Mas o que temos é um discurso académico politicamente correcto que, ao mesmo tempo que defende a condição da mulher, defende exageradamente a condição do aluno que massacra essa mulher. Os governos passam e este problema arrasta-se. Devíamos ter vergonha disso.

images[5]
BREVE COMENTÁRIO

Sr. Mithá Ribeiro:
Saiba que a qualidade de uma instituição escolar depende, em grande parte, da forma como ela se coloca face ao processo de condução das actividades que se desenvolvem nas turmas e na escola de uma maneira geral. A missão da escola ultrapassa em muito o processo de ensino-aprendizagem, na medida em que tem como missão o desenvolvimento e a promoção dos valores humanos nos alunos. Mas a persecução deste desidrato está directamente relacionada e dependente da qualidade e da capacidade dos professores para estimularem o esforço daqueles a quem é exigido normas, aprendizagens e comportamentos adequados.
Saiba, também, que não é possível separar a função de ensino da função socializadora do professor, através da qual o docente se assume simultaneamente como uma referência reguladora de interacções e tensões sociais no seio do grupo de alunos, seleccionando as estratégias educativas mais favoráveis à produção de interacções, e se assume como moderador ou regulador dessas interacções, liderando estes processos para a maximização dos diferentes contributos produzidos pelos alunos. Ora, esta função só é atingível com uma adequada gestão de sala de aula, pelo que instrução e gestão de sala de aula são indissociáveis.
Saiba, ainda, que a INDISCIPLINA deve ser encarada como um insucesso comportamental e uma dificuldade de adaptação social e, na maioria dos casos como UM FORTE INSUCESSO DO PROFESSOR NA CONDUÇÃO DOS ALUNOS E NA GESTÃO DA SALA DE AULA.
É importante também, aprender que a primeira e mais fundamental norma para o professor é saber tratar os seus alunos com estima e respeito. Educar e formar significa estabelecer relações cordiais e afectuosas com os seus alunos, criar um ambiente estimulante de compreensão e colaboração, usando de atitudes amistosas e pacientes com todos os alunos sem distinção.
Saiba, ainda, que os valores e atitudes cultivados numa escola precisam ser incorporados por toda a equipe de profissionais; a incoerência entre a vivência desses valores pelos professores, pode transmitir aos alunos uma visão distorcida dos valores que a instituição cultiva.
A responsabilidade pelo comportamento dos alunos na aula não está centrada unicamente nos professores, mas, não podemos deixar de afirmar que sempre que os professores actuam com competência profissional, unidade e coerência, sentindo-se responsáveis pelo que ocorre à sua volta, os comportamentos inadequados ficam restritos a poucos alunos, com problemas muitas vezes de origem extra-escolar.
Sabemos, também, que um dos factores que mais estimula a indisciplina, ou a falta de consideração dos alunos a um professor é a falta de coerência entre o que o professor diz e o que ele faz, entre os valores que ele tenta transmitir aos alunos e os que ele mesmo vive.
Mithá Ribeiro é um exemplo de uma escola cujas práticas são significativas de uma profunda incoerência entre os objectivos da educação e a gestão educacional que os operacionaliza. Vejamos o que nos diz Mithá Ribeiro: “Estou fisicamente preparado para actuar se um aluno desobedecer” O Estado Novo exigia aos professores um atestado de robustez física. Assumo a robustez física como condição de sobrevivência na sala de aula.”
Como é possível ler uma entrevista de um professor, que em Outubro de 2013, verbaliza sem receio e sem reflexão o autoritarismo, a falta de respeito, a ignorância total sobre o que é educar e formar cidadãos.
Com professores destes que atuam e recebem o ordenado à custa do orçamento geral do estado e, portanto, de todos nós, e cujo despedimento não está na ordem do dia pelos responsáveis governamentais como podem pais, responsáveis de educação, técnicos e sobretudo os alunos achar que a escola é um contexto de formação essencial à vida e ao progresso da humanidade?
Manuela Machado

Advertisements

One thought on “COMO É POSSÍVEL TAMANHA IGNORÂNCIA NO NOSSO SISTEMA DE ENSINO?

  1. emiele

    Nem se pode comentar a declaração deste senhor, que nos deixa de boca aberta…
    Que o problema da indisciplina é complicado e grave, sabemos bem. Que há jovens inacreditavelmente violentos quer verbal quer fisicamente, é um facto. Agora se se lhes responde na mesma moeda (ooooh! ) estamos à espera de quê?

    Responder

Deixar um comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s